Home office consolidado, expectativa pelo modelo híbrido e três desafios que devem nortear o mercado de trabalho pós-pandemia

Por João Aguiar

Quando se fala em home office, logo surge a situação generalizada causada pela pandemia da Covid-19. Afinal, já são mais de 18 meses de adaptação ao trabalho remoto e, agora, preparação para o que vem pela frente. O avanço da vacinação no País fez com que diversos nichos profissionais começassem a ensaiar a volta daquele antigo trabalho presencial. Mas uma pergunta fica no ar: será que realmente essas empresas estão preparadas para voltar ou somente estão amarradas à velha cultura de que o profissional só trabalha se o patrão estiver vendo?

Para entender um pouco do que está acontecendo, é preciso analisar o que empresas e funcionários estão considerando neste momento. Um estudo feito pela Robert Half constatou que 76,5% dos profissionais passaram a considerar o home office um novo modo de trabalho. De acordo com o estudo, 64% gostariam de trabalhar mais dias da semana em casa que no escritório. Neste sentido, somente 17% optariam por mais tempo trabalhando presencialmente.

Leia aqui na íntegra.

Fonte: O Estado de S. Paulo, em 13.09.2021