LGPD na prática: o que muda para as empresas e como se adequar à lei

Por Izabela Rücker Curi Bertoncello

É cada vez mais importante cuidar da segurança dos dados da sua empresa, sejam informações referentes ao seu negócio ou aos seus clientes. A LGPD chega para proteger a liberdade e a privacidade de consumidores e cidadãos.

É cada vez mais importante cuidar da segurança dos dados da sua empresa, sejam informações referentes ao seu negócio ou aos seus clientes. O aumento dos casos de vazamento de dados nos últimos anos fez com que governos, empresas e sociedade se preocupassem em criar mecanismos para evitar a invasão de privacidade. Outro fator relevante é a perda financeira causada por ataques cibernéticos. No Brasil, segundo levantamento mais recente da União Internacional de Telecomunicações (ITU, na sigla em inglês), órgão da Organização das Nações Unidas (ONU), a perda foi de R$ 80 bilhões, em 2019.

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) chega com o objetivo de proteger a liberdade e a privacidade de consumidores e cidadãos. Criada em 2018, ela demanda que empresas e órgãos públicos mudem a forma de coletar, armazenar e usar os dados das pessoas. Ou seja, terá impactos significativos nas áreas jurídica, administrativa e de segurança da informação das companhias.

Leia aqui na íntegra.

Fonte: Migalhas, em 04.09.2020